• Início
  • Journal
  • Uma imagem fala mais que mil palavras. Ou não.
  • Uma imagem fala mais que mil palavras. Ou não.

    Uma imagem fala mais que mil palavras. Ou não.

    por Leandro Bittar

    Descrever a cena é simples. O líder do ranking UCI, o belga Sven Nys, comemora a vitória na Superprestige Hoogstraten, prova válida pelo calendário ciclocross, em 2007. Logo atrás dele, o segundo colocado, o holandês Richard Groenendaal, demonstra toda sua insatisfação com um gesto, convenhamos, tão feio quanto algumas vezes indispensável. 

    Eu já vi essa foto inúmeras vezes e sempre quis entender o que rolou para que dois ciclistas de uma mesma equipe cruzassem a linha de chegada desta forma. Muita gente deduz o gesto de Groenendaal como alguém insatisfeito por levar alguém na roda por muito tempo e ser ultrapassado na meta. Eu fui assistir ao vídeo e descobri que existe um mundo por trás da foto. 

    https://www.youtube.com/watch?v=sqebkJ4iFiI

    A narração é naquela língua bem fácil de entender. Mas com uns 15min de prova, Richard Groenendaal e outro Rabobank, Gerben De Knegt, saltam em uma fuga. Sven Nys fica em um grupo com o campeão mundial Erwin Vervecken. Como contexto, Sven Nys vivia o ápice da carreira, já era o grande nome do ciclocross, tido como um dos melhores de todos os tempos. Naquela altura vencia 70% das provas que largava e Groenendaal tornou-se um gregário importante em boa parte destas conquistas.

    Naquela prova, Groenendaal, um veterano de 36 anos, já sabia que não correria pelo time no ano seguinte. Ele era um bom ciclista, menos famoso que Nys, mas com resultados expressivos, como o título mundial de 2000. Aliás, esse evento trás muito mais polêmica que a foto. Na época, Sven Nys foi acusado de ajudar Groenendaal ao invés de trabalhar por seu país, com Mario DeClerq.  

    Essa polêmica sempre incomodou Groene, que nunca pode desfrutar seu grande momento sem tocar nessa ferida. Você não precisa entender uma palavra para captar a mensagem nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=v00NuBBAzjU

    Fato é que um ciclista ia em busca dos recordes e outro estava ali buscando o que seria a última vitória da carreira. E os dois tinham motivos para serem gratos um ao outro.
    Voltando à disputa. Groenendaal e De Knegt nunca chegaram a abrir grande vantagem. Tanto que algumas voltas depois, Nys e Vervecken se juntaram na ponta. 

    Com 4 voltas para o final, Nys atacou e os papéis se invertaram. Foi holandês que ficou na roda do campeão mundial. Só que Groenendaal acreditou na suas pernas e largou Vervecken de roda com uma aceleração fulminante. Eram 3 Rabobank para decidir a vitória. Mas por algum motivo mecânico Sven Nys voltou a sobrar do trio. 

    Telenet Fidea Lions team manager Sven Nys pictured in action during the Lakefront Brewery Legends Race of the Trek CX Cup cyclocross cycling race in Waterloo (WI), USA, Friday 21 September 2018. The First UCI World Cup cyclocross race of the 2018-2019 cyclocross season is taking place next Sunday in Waterloo, US. BELGA PHOTO DAVID STOCKMAN

    Dali em diante a rivalidade escancarou ainda de vez. Os dois travaram uma perseguição individual e ao passo que o holandês atacava na ponta, o belga o perseguia com mais ferocidade. De Knegt era um espectador de luxo. Apenas na última curva Nys engatou no vácuo de Groenendaal. Logo botou de lado com um sprint arrasador. A reação do Richard você já sabe. Pós-prova ele tentou se explicar: “Estou apenas no joguinho de Nys. Nós somos os ratos e ele é o gato. Ele quis se exibir novamente: Nys é simplesmente o melhor.”

    Belgian cyclist Sven Nys competes in the men elite category of the Koksijde cyclocross, the third race of the UCI Cyclocross World Cup, on November 22, 2015, in Koksijde. AFP PHOTO / BELGA / DAVID STOCKMAN ***BELGIUM OUT*** (Photo credit should read DAVID STOCKMAN/AFP/Getty Images)

    O holandês ainda correu duas temporadas antes de se aposentar pela modesta equipe AA Drink. Alguns bons resultados, nenhuma vitória. Sven Nys correu mais nove temporadas, somando novas 116 vitórias, sendo 4 delas nessa mesma pista, onde ele é o recordista de vitórias, com oito no total. Sobre o gesto de Groenendaal, foi sucinto: “Groenendaal não tinha motivos para se decepcionar. Tenho servido perfeitamente aos interesses da equipe. Primeiro deixei-os comer seu próprio prato e depois passei a me servir”. A conexão com o fato de 2000 é nítida. Nys era um ciclista capaz de decidir quem ganhava e quem não ganhava. 

    Compartilhe este post

    Deixe um comentário

    Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.