• Início
  • Journal
  • Tadej Pogačar vence a Il Lombardia
  • Tadej Pogačar vence a Il Lombardia

    Tadej Pogačar vence a Il Lombardia

    O bicampeão Tadej Pogačar lutou contra seus rivais e uma dose tardia de cãibras nas pernas para imitar o grande Fausto Coppi, garantindo um hall de vitórias em Il Lombardia, atacando sozinho a na descida do Passo di Ganda a 30 quilômetros da chegada.

     

    O esloveno terminou 51 segundos à frente de um grupo de sete pilotos liderado por Andrea Bagioli (Soudal-QuickStep), que ultrapassou Primož Roglič, fazendo a sua última aparição com as cores Jumbo-Visma, com Aleksandr Vlasov (Bora-Hansgrohe) em quarto. Os britânicos Simon Yates (Jayco-AlUla) e Adam Yates terminaram em quinto e sexto, respectivamente, este último desempenhando um papel crítico na vitória do seu líder nos Emirados Árabes Unidos.

     

    ‘Vencer pela terceira vez na minha terceira participação, pela segunda vez aqui em Bérgamo… É um sonho terminar sozinho. Foi fantástico. Aproveitei os últimos quilômetros, embora tenham sido muito, muito dolorosos”, disse Pogačar.

     

    Chegando ao Passo di Ganda, faltando 41 km para o final, os pilotos da fuga Ben Healy (EF Education-EasyPost) e Martin Marcellusi (Green Project-Bardiani) mantiveram uma vantagem de 40 segundos. O irlandês Healy largou seu companheiro italiano nas encostas mais baixas da subida, mas não resistiu ao aumento de ritmo liderado pela UAE dentro do pelotão, aproximando-se rapidamente para trás. Diego Ulissi foi o instigador inicial, antes de Adam Yates explodir o pelotão com um ataque que viu Healy ser engolido e vários favoritos serem derrubados, incluindo o líder da equipe de Bagioli, Remco Evenepoel.

     

    ‘Tentei atacar na subida, mas acho que Vlasov foi um dos mais fortes lá’, disse Pogačar, que pegou um KoM no Ganda durante o reconhecimento pré-corrida. “Eu esperava que eu e Aleksandr fôssemos juntos até o final, que colaborássemos, mas os outros vieram de trás”, continuou ele, acrescentando que viu sua chance na descida.

     

    ‘Foi em um momento que tive uma pequena lacuna. Eu conhecia a descida muito melhor do que há dois anos, quando essa descida foi um desastre para mim. Mas hoje eu dei tudo de mim. Foi difícil chegar tão longe do final, hoje foi uma corrida super difícil em todas as subidas’, disse ele, antes de confirmar que lutou contra cãibras quando saiu sozinho.

     

    “Primeiro tive cãibra na coxa direita, depois pensei que estava sentindo a mesma cãibra na esquerda, mas consegui seguir em frente. Abaixei um pouco minha potência e me concentrei em ser o mais aerodinâmico possível e me salvar para o chute final para cima. Eu esperava que a colaboração por trás não funcionasse tão bem. Ganhei tempo com eles, mas não estava indo tão rápido”, admitiu.

     

    Adam Yates explicou que os atletas da UAE tiveram que repensar sua estratégia quando Sjoerd Bax caiu no início da corrida, caindo em um incidente que também deixou Evenepoel no chão. ‘Isso nos deixou com um homem a menos e tivemos que nos reorganizar um pouco, mas no final Tadej fez o que faz de melhor. Tentei atacar algumas vezes para dificultar e quando ele encontra o momento certo ele sabe o que fazer. Foi um dia perfeito para nós. Então, atrás, tentei dar um tapinha em todo mundo, como sempre. Quando você tem números é muito mais fácil controlar a corrida”, disse Yates.


    Deixe um comentário

    Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.