• Início
  • Journal
  • Shimano prevê queda de 20,5% nas vendas em 2023
  • Shimano prevê queda de 20,5% nas vendas em 2023

    Shimano prevê queda de 20,5% nas vendas em 2023

    Dizem que agora parece ser o melhor momento para comprar uma bike nova – tudo indica que de fato é verdade

    A Shimano é uma das empresas mais tradicionais e antigas no mundo da bicicleta, com uma das melhores análises de como esse mercado oscila e se comporta ano a ano.

    A Shimano prevê uma queda nas vendas de 20,5% para 2023. É o que afirma um relatório publicado pela empresa em que são apresentados os resultados financeiros do ano passado, que fechou com um aumento nas vendas de 16,6% e dos benefícios de 10,59 %.

    A gigante japonesa divulgou seus resultados financeiros anuais. A leitura positiva é que tanto as vendas quanto os lucros aumentaram consideravelmente em 2022 se compararmos com o ano anterior.

    Por um lado, o volume de vendas representou cerca de 4,2 bilhões de euros em 2021. Um valor que aumentou para 4,4 bilhões de euros em 2022; ou seja, um aumento de 15%.

    Na mesma linha estão os benefícios líquidos, que afinal são a melhor forma de medir a saúde de uma empresa. Neste caso, o aumento foi de 10,59%, atingindo cerca de 897,6 milhões de euros.

    No entanto, o relatório oferece uma leitura menos positiva se olharmos para as previsões para este curso. A Shimano prevê uma queda acentuada nas vendas de 20,5%, ainda mais acentuada se olharmos para as vendas de componentes de bicicletas, onde a queda é de 23,5% em relação a 2022.

    Traduzido em dinheiro, os japoneses acreditam que as vendas totais em 2023 cheguem a 3,5 bilhões de euros. Por outro lado, as vendas de componentes de bicicletas representarão cerca de 2,7 bilhões de euros (perto de 80% do total), bem abaixo dos 3,6 bilhões de euros alcançados no ano passado.

    A empresa estima que a receita operacional cairá 37,9% e a receita ordinária 32,3%.,

    Explicam que estão preocupados que “as cadeias de abastecimento globais sejam perturbadas pelas restrições de oferta e pelo aumento da tensão política” provocadas pelas razões do contexto de guerra, inflação e às quais devemos ainda acrescentar “políticas monetárias restritivas”.

    No mercado europeu, a preocupação da Shimano se concentra na “escalada dos preços de recursos e energia e nas restrições de oferta”, que o fabricante diz que pode desacelerar as atividades econômicas.

    Compartilhe este post

    Deixe um comentário

    Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.