• Início
  • Journal
  • Se tem grip, não dura – e se dura, não tem grip
  • Se tem grip, não dura – e se dura, não tem grip

    Se tem grip, não dura – e se dura, não tem grip

    Vamos lá que eu te explico essa regra básica sobre pneus – válida para a sua bike, carro, moto e avião.

    É comum receber feedbacks negativos de pneus, onde os usuários dizem que aquele pneu é ruim por que durou pouco. Eles não sabem que estão na verdade elogiando o grip daquele pneu – a capacidade que ele tem de te segurar no solo e evitar que você escorregue.

    No mundo da bike existe uma máxima onde a durabilidade de qualquer peça é quase sempre inversamente proporcional a outros fatores positivos. Por exemplo, um cassete super leve e top de linha de qualquer marca sempre vai ser o que menos vai durar, mesmo sendo o mais caro. A liga utilizada ali é mais leve, logo se esfarela com mais facilidade ao longo de seu uso comum.

    O mesmo vale para câmbios e freios: quanto mais caros e leves, pior será a sua durabilidade. Portanto, quando escolher um XTR, tenha em mente que ele não vai te acompanhar por muito tempo.

    Os pneus seguem mais ou menos a mesma regra. Não que o mais caro seja necessariamente o que menos vai durar. Neste caso, a durabilidade é o inverso do grip, um dos fatores mais decisivos na nossa escolha.

    É que ‘grip’ e ‘durabilidade’ são, pelas leis da física, grandezas inversamente proporcionais.

    Se o seu pneu tem uma borracha com a capacidade de encostar em uma superfície e “grudar” nela, isso é um bom grip, e é o que vai garantir que não seja um pneu escorregadio. A borracha macia é a que consegue ter essa característica.

    Em compensação, por ser tão macia e aderente, ela vai se esfarelar ao longo das frenagens e acelerações que um bom pedal pede.

    Quando dizemos que um pneu deve ter um bom grip, não queremos dizer que ele tenha a maior quantidade possível de grip, por dois motivos:

    O primeiro é a durabilidade, pois não queremos que o pneu dure apenas duas semanas.

    O segundo motivo é que precisamos também de um pouco de rolagem. Nenhum pedal, mesmo que seja de DH, é totalmente feito de curvas inclinadas. Você precisa de um composto de borracha que tenha um mínimo de rigidez para manter o seu pedal rolando com fluidez. Um pneu com grip máximo seria uma catástrofe em uma subida ou trechinho de asfalto.

    Portanto, o meio termo existe e ele vária de acordo com cada modalidade, sub-modalidade e preferência de cada piloto.

    Quando escolhemos um pneu que tem uma alta durabilidade, naturalmente estamos falando de uma borracha mais dura, logo, um grip menor.

    Quando escolhemos um pneu que tem um grip bom, já devemos estar cientes que ele não vai durar muito, mas tem uma chance maior de te salvar naquela curva escorregadia.

    É por isso que, se tem grip, não dura. E se dura, não tem grip.

    Compartilhe este post

    Deixe um comentário

    Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.