• Início
  • Journal
  • God Save The Queen
  • God Save The Queen

    God Save The Queen

    Por: Daniel Bahia

    Numa etapa marcada por inúmeras quedas, uma delas tirou da competição a sensação das montanhas, o australiano Jay Vine (Alpecin-Deceuninck) até então líder da classificação de escalador. Outro bastante afetado foi o jovem Carlos Rodriguez (Ineos) que perdeu duas colocações e agora está em sexto na geral.

    Os 192km e 3680m de ascensão da etapa entre Trujillo e Alto de Piornal seriam ideais para uma fuga para vitória de etapa. Com 50km percorridos, ela se formou com 32 atletas dentre eles Tao Geoghegan Hart e Richard Carapaz da Ineos (Carapaz agora é o líder de montanha) , Hugh Carthy (EF Education-EasyPost), Thibault Pinot (Groupama FDJ) e o veterano Robert Gesink (Jumbo-Visma).

    Gesink que conquistou sua última vitória na 14a Etapa da Vuelta de 2016, lutou bravamente até os metros finais. A fuga que sucumbira ao longo do percurso já não tinha tantos atletas no início da escalada final ao Piornal e foi alcançada pelos grupos de João Almeida (UAE Emirates) e em seguida o grupo do líder Remco Evenepoel (Quick-Step Alpha Vinyl).

    Depois de sucessivos ataques de Remco e dos demais atletas mais bem colocados na classificação geral, ele e Enric Mas (Movistar) conseguiram consolidar uma pequena vantagem, alcançar Gesink e disputar os três a vitória de etapa.

    Remco mais uma vez demonstrou sua superioridade e num belo sprint final conquistou a sua segunda vitoria de etapa nessa Vuelta, a primeira nas montanhas e a 35a da carreira.

    Faltam 3 etapas para Evenepoel, para a Quickstep, para a Bélgica.

    Compartilhe este post

    Deixe um comentário

    Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.