• Início
  • Journal
  • Giro etapa 12 – Quem tem três tem duas
  • Giro etapa 12 – Quem tem três tem duas

    Giro etapa 12 – Quem tem três tem duas

    por Leandro Bittar

    O italiano Stefano Oldani (Alpecin-Fênix) tirou o bilhete premiado na etapa 12 do Giro d’Italia. Ele venceu a etapa em Gênova depois de se impor em um sprint reduzido com outros dois ciclistas. O cenário clássico da “Fuga de la Fuga”, expressão consagrada por Chente Acosta no seriado ‘O Dia Menos Esperado”, trouxe uma disputa entre gregários de equipes que já haviam vencido nesse Giro.

    Menos famosos da fuga principal, os três aproveitaram a brecha para jogar a vitória

    De relevante sobre a etapa mais longa (204km) desta edição registre-se a primeira vitória profissional desse valente ciclista italiano. Um habitual gregário de Mathieu Van der Poel, que aproveitou a presença do líder e de outro companheiro na forte fuga formada junto com outros 22 ciclistas. Relevante também que essa fuga foi formada depois de inúmeros ataques e um início com média horária superior aos 55km/h.

    Muito marcado, Van der Poel “permitiu” a vitória do gregário Oldani

    Todo mundo sabia que esse grupo brigaria pela etapa desta quinta-feira e a fuga só se formou quando representantes de 18 das 22 equipes se apresentaram na ponta da prova. Nomes muito fortes e de características diferentes, como Bauke Mollema (Trek), Magnus Cort Nielsen (EF) e Wilco Kelderman (Bora). Este último também vitorioso do dia. Ele se valeu da fuga para subir 10 posições na classificação geral. Agora ele é o 13o, 2min51 atrás de Juan Pedro Lopez (Trek).

    Pelotão rendeu homenagens ao passar pela descida do Passo del Bocco, onde em 2011 morreu Wouter Weylandt. Desde então, o número 108 foi aposentado

    A Besta Holandesa Mathieu Van der Poel foi novamente centro das atenções e parecia mais confortável com a presença dos dois companheiros de equipe na ponta. A expectativa era que os três pudessem controlar os ataques. Não foi muito diferente disso, porém, o foco em MVDP foi a grande arma de Oldani. Ao marcar a aceleração de Lorenzo Rota (Intermarché), o italiano se viu bem posicionado na ponta, enquanto MVDP sofria na 3a das últimas 3 subidas de categoria 3 (menos duras) da etapa. Formou-se a cena que todo gregário sonha.

    Oldani conquistou sua primeira vitória profissional no Giro d’Italia!

    Já como aposta número #1, ele revezou na ponta com seus rivais Rota e Gijs Leemreize (Jumbo). Aliás, qualquer um deles também seria o sucesso de um gregário, mas foi Oldani – com certa facilidade – quem levantou o braço na meta em Gênova. Segunda vitória da Alpecin-Fênix nesse Giro d’Italia. Desta vez, não com sua estrela, mas com a (não) participação dela.

    Fora a recuperação de Kelderman, a prova não trouxe mudanças nas classificações. Nesta sexta-feira, o pelotão deve viver novas emoções, com 150 km entre San Remo e Cuneo. Chances para a fuga com uma subida de categoria 3 (do nível do mar aos 900m em 50k) e também para os velocistas.

    Compartilhe este post

    Deixe um comentário

    Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.