• Início
  • Journal
  • E o Filippo não “Ganna” a etapa 20
  • E o Filippo não “Ganna” a etapa 20

    E o Filippo não “Ganna” a etapa 20

    por Leandro Bittar

     

    Ainda falta uma etapa para terminar o Tour de France 2022.  A tradicional chegada no Champs Elysees, no entanto, será mais uma vez uma vez um dia festivo e já nostálgico de uma das melhores edições de todos os tempos. Neste sábado, a crono em Rocamanour viu o show das camisas. O verde Wout Van Aert venceu a etapa, o amarela Jonas Vingegaard confirmou o título. E os dois – juntos ou individualmente – voltaram a deixar todo mundo para trás. E, olha, teve gente sonhando em colocar água no chope holandês.

    Uma linda cena de dois ciclistas que dominaram o Tour 2022. Quem foi o mais forte? Não sei dizer

    Depois de dois anos dominando os contrarrelógios do Giro d’Italia – e dos campeonatos mundiais – Filippo Ganna estreou neste Tour de France cheio de expectativas. Descobriu que o buraco é mais embaixo. Quarto colocado na primeira etapa (com a infelicidade da chuva) neste sábado sofreu novo baque. Superado por um incrível Wout e os três primeiros colocados na geral. Nessa ordem: Vingegaard, Tadej Pogacar e Geraint Thomas. Eu não imaginava que ele sairia deste Tour de mãos abanando.

    O campeão mundial foi engolido pelos três melhores do Tour e pelo Wout “hors-categorie”

    Já os campeões de 2018, 2020 e 2021 ornam o pódio do dinamarquês com muito mérito. Fizeram um ótimo Tour de France e dignificam a disputa. Mas ocupam os lugares merecidos. Aliás, no top10, tudo muito dentro do que seria o “coerente” com as expectativas iniciais. O russo Alexander Vlasov foi o maior beneficiado da crono deste sábado, terminou em quinto. Uma posição atrás de David Gaudu, o melhor francês dessa edição. Se Vlasov subiu bem, Louis Mentjes fez um Time Trial bem ruim e terminou em oitavo. Romain Bardet (7o), Andrey Lutsenko (9o) e Adam Yates (10o) fecham os nomes de destaque na CG.

    Emocionado na chegada, Vingegaard recebeu o carinho da família

    Um detalhe que chamou muita atenção na etapa foi o ímpeto de Jonas Vingegaard em brigar pela vitória da etapa. Seu esforço quase lhe custou um acidente no trecho final que poderia colocar tudo a perder. Mas serviu como alerta para os rivais do ano quando for defender o título. O dinamarquês se defende muito bem nessa modalidade também.

    WVA é ótimo. E não parece se cansar de provar isso.

    Outro ponto que vale especular é o quanto a vitória de Wout Van Aert coloca os holofotes no fenomenal camisa verde, que se exibiu neste TDF2022 dia-após-dia. Uma vitória de Vingegaard neste sábado ajudaria o dinamarquês lidar com o fato de que o principal protagonista desta edição não foi o campeão geral. Talvez, isso também seja um problema no próximo ano.

    Como eu falei, amanhã a expectativa é de um sprint massivo. E é sempre um dos sprints mais bonitos da temporada. Todos os principais favoritos para isso chegaram nas dez últimas posições neste sábado. Todos menos um: o primeiro. Wout Van Aert venceu em Paris no ano passado e vai querer repetir. Se realizar tal proeza, será capaz de darem o troféu de campeão para dois ciclistas este ano.

    TOUR DE FEMME

    Neste domingo começa também o Tour de France feminino. Um evento que já impacta positivamente a cena do esporte para mulheres. Comente aqui se você quiser ler mais sobre isso.

    Compartilhe este post

    Deixe um comentário

    Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.