• Início
  • Journal
  • De pai para filho(s)
  • De pai para filho(s)

    De pai para filho(s)

    por Alvaro Pacheco

    O que fazer quando existe um esporte que você ama e suas filhas e filhos tem potencial?

    O recente filme de Will Smith, King Richard: Criando Campeãs – ASSISTA AO TRAILER AQUI – conta a história verídica de Richard Williams. Contra tudo e contra todos ele realizou o potencial de não só uma, mas de duas filhas, Vênus e Serena Williams.

    O filme é sucesso de crítica e foi indicado ao Oscar em seis categorias: melhor filme, melhor ator, melhor atriz coadjuvante, além de canção, roteiro original e montagem.

     

    Vários dilemas na construção de alto rendimento que podemos aplicar nos desafios que colocamos para nossas pequenas e grandes metas, estão no filme.

     

    Onde está a linha tênue entre persistência e teimosia? Como você pode ser certeza de que está no caminho certo, quando você nunca fez esta jornada?

    Richard era um vigia noturno com renda bem limitada e pai de cinco filhas. Não era exatamente o perfil aceito em clubes de tênis ou por treinadores que trabalham a formação de atletas. Incansável e determinado, ele fez o impossível, inventou um caminho novo e foi seguidamente criticado por isso. No final, não é spoiler para ninguém, criou as condições para que suas filhas fossem pessoas felizes e campeãs internacionais.

     

    Um ponto importante foi a preocupação dele e de sua esposa em priorizar a formação de suas filhas como pessoas. É comum no processo de formação de atletas de base, que campeões maduros tenham dificuldades emocionais e sociais importantes, como foi o caso de Tiger Woods no golfe e Andre Agassi, no tênis.

     

    Richard não era louco. Apesar de não ter recebido uma sólida formação acadêmica foi buscar todas as informações possíveis, 24 horas por dia, de como criar o caminho inédito para cada uma das suas Filhas.

     

    Dentro da família também não foi fácil quando uma das filhas performava mais do que a outra. Aqui também Richard navegou com cuidado, sensibilidade e sucesso.

     

    Para o mundo do tênis e do esporte mundial, o vigia noturno Richard virou o King Richard. Caso único e que dificilmente será repetido. Uma família pobre, negra e sem apoio vencendo não só apenas uma, mas dois fenômenos do esporte.

     

    No seu próximo desafio de um Haute Route, Iron ou qualquer grande objetivo, aprenda com o King Richard. Humildade, preparação, disciplina e fé.

     

    Ao assistir o filme, uma frase vem a cabeça.

     

    EU NUNCA FIZ ISTO, MAS EU SEI O QUE ESTOU FAZENDO.

     

     

    Compartilhe este post

    Deixe um comentário

    Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.